RESENHA: LIVRO "OS OPOSTOS SE DISTRAEM", DE JUSSARA SOUZA

Mais uma resenha especial do livro de outra parceira do blog, a Jussara Souza. 


Neste livro, Jussara nos convida a fazer parte do seu dia a dia e desfrutar da sua incrível história e do seu marido, conhecido carinhosamente como Multitarefeiro, por ele anotar todos os afazeres em uma lista e realizar cada tarefa rigorosamente, se algo estiver faltando é motivo de uma alteração de humor. Sua esposa não é tão paciente quanto gostaria e se irrita fácil com esse seu jeito tão peculiar. Discussões frequentes são inevitáveis quando duas pessoas totalmente diferentes decidem dividir o mesmo teto. Mas será que o amor é capaz de suportar tanta diferença? Ou será que a raiva fala mais alto possibilitando que as palavras ofensivas sejam tão crueis à ponto de afastar o casal?

Nessa leitura vamos descobrir isso e muitas outras perguntas que se formam em nossa mente. Essa história é da Jussara e ela nos conta qual foi a maneira que deu certo e a que não deu para cada situação. Talvez possa funcionar pra você ou talvez não. O que ela propõe não é uma fórmula mágica, mas uma alternativa diferente que não custa nada tentar, mas a escolha é sua, que fique bem claro.

Então é o seguinte, vou lhe contar as técnicas que deram certo para mim. Você pode achar interessante e fazer igual, senão, sugiro encontrar sua própria maneira de fazer as coisas darem certo.

O casal se conheceu  em um barzinho no Vale do Paraíba no final dos anos 90. Eles começaram a conversar e já sentiram uma certa atração. Depois de alguns encontros deram início ao namoro e este só durou três meses. As diferenças alarmaram bastante fazendo com que acreditassem  que nunca dariam certo. Jussara era baladeira, já o Multitarefeiro era caseiro e nenhum dos dois estava disposto a mudar por uma paixão. Alguns anos depois houve um reencontro e a atração ainda permanecia a mesma, então decidiram tentar outra vez. Dessa vez o namoro deu certo e durou um período de dez anos. Depois que fizeram faculdade e um intercâmbio resolveram se casar. Nos primeiros anos de convivência não tiveram muitos problemas, mas depois as coisas começaram a esquentar e as divergências apareceram.

Ele é consultor  de empresas e seus horários são bem flexíveis. Já ela trabalhava numa empresa de contabilidade e ainda estudava, além de ter que tomar conta da casa e cuidar dos seus bichinhos fofos - que têm um lugar especial em sua vida que ela compartilha no livro também, tornando sua vida um tanto corrido.

Devido ao retorno de Saturno - que é aquela fase de despertar para as coisas à nossa volta e questionar se é aquilo mesmo ou se precisa mudar. Essa fase acontece aos 29 anos, já com Jussara aconteceu aos 39 e acabou interferindo no relacionamento. Ela começou a perceber que "engolia" muitas coisas calada e estava na hora de colocar os pontos os "is". Essa atitude deixou seu marido pra lá de furioso e uma série de desavenças desabou no lar. Vocês podem estar pensando "que chato, agora a história vai girar em torno de brigas", nada disso! Ela relata sim alguns desentendimentos mas para algum fim específico, para que possamos aprender algo. E ao contrário de muitos casais que ficam dando voltas e não chegam a lugar nenhum, eles se inovam bastante, trazendo atividades para fazerem juntos que podem ajudar a perceberem o que está errado e consertar. Vida à dois não é fácil gente, mas acredito que quando há amor tudo fica mais tolerável. As diferenças vão existir sempre, mas se o desejo de construir e crescer estiver presente em ambos pode apostar que só terão coisas boas.

E, se prestar bem atenção, voltar no tempo, lá bem no começo do namoro
ou do casamento, tais diferenças nem pareciam existir. Ou, se existiam, não incomodavam tanto assim. Sabe por quê? Porque no início os opostos se atraem.

Não tenho palavras pra descrever o quanto gostei desse livro. Me identifiquei demais e em alguns momentos achei que foi eu quem escrevi, pois tenho pensamentos semelhantes aos dela o tempo todo. Me senti como se já fossemos amigas desde sempre, quantas confidências trocadas como na parte em que fala sobre amenizar situações desagradáveis nos relacionamento, tanto eu quanto a autora prefere conversar sobre tudo que nos incomoda. E o que achei mais interessante foi que apesar do livro ser escrito por ela, não se faz de "vítima", mas conta os fatos sob a visão do marido e assume quando está errada. Sabe aquele livro que você vai destacar as partes importantes e percebe que está marcando o livro todo? Esse nos permite isso rsrs.

As dicas apresentadas são muito úteis, como ceder no relacionamento, como alguns mantras podem nos acalmar naquele momento pré DR, como é importante prestar atenção nos detalhes desde o início da relação, como lidar com as diferenças que todo casal tem, como é essencial ter momentos de conversa para fazer acordos em que os dois sejam beneficiados para assim manter um equilíbrio e não ter danos mais tarde. Há a possibilidade também de ajudá-la a encaixar seus quebra-cabeça, fazendo o leitor se sentir mais próximo a ela. Ao decorrer da leitura estava me imaginando sentada na mesa ao seu lado debatendo cada questão. Não sou casada ainda, mas namoro e já vivi muitas coisas na qual pude perceber agora se afetarão a vida à dois sob o mesmo teto e entender que posso fazer ser diferente, ou seja, tomar atitudes que influenciem no nosso futuro. 

Amei ler esse livro e recomendo pra vocês, uma leitura leve e rápida, fui devorando cada página e quando percebi já havia terminado. Independente de terem um relacionamento ou não, podem ler, pois aprenderão muitas coisas da mesma forma. Quero agradecer à Jussara pelo carinho e por me presentear com essa obra maravilhosa. Desejo sucesso tanto na vida profissional quanto com o multitarefeiro, que vocês possam estar sempre em harmonia. Sinta-se abraçada por mim. 

Visitem a Jussara e deixem muito amor! 

Acredito que se não estamos bem conosco ou se nada na vida está dando certo, seja no relacionamento, no trabalho, na família, seja na falta de dinheiro, pode até ser difícil aceitar, mas o problema pode estar em nós, e não nas pessoas ao redor. Cada um é responsável por criar a condição e a situação em que vive.


RESENHA: LIVRO "O LADRÃO DE SONHOS", SIDNEI COELHO

Olá meus amores! A resenha de hoje é muito especial, pois é sobre o livro que ganhei do autor parceiro aqui do blog. Espero que gostem.


A história começa na cidade do Vale das Montanhas Gêmeas, um recanto isolado a 45 quilômetros da capital Engenhópolis. Um lugar entre as montanhas e o Grande Lago Serenata. Lá estava localizado o Pólo do Vale, uma Universidade de Engenharia bastante reconhecia e conceituada.

James Walter era um empresário americano que mudou-se para o Vale para supervisionar a construção da nova franquia de sua rede hoteleira. Conheceu Lúcia, casou-se e teve quatro filhos: James que sonhava em ser juiz, Lincon - o menino prodígio, Marcos que não era um destaque, mas mantinha uma reputação e Sara, que era considerada rebelde por ser questionadora. Ela era misteriosa e via coisas que muitas pessoas não entendiam. Certa vez disse para Lincon que ele se perderia em um abismo tão profundo e que talvez ninguém conseguisse resgatá-lo. Ele passaria por uma grande mudança e que não saberia lidar com isso, podendo prejudicar a vida de muita gente. Mas o irmão não levou à sério, acreditou que Sara estivesse delirando.

Lincon se destacava em tudo que fazia. Descobriu diversos talentos como a natação, pois conseguia nadar no Grande Lago e percorrer muitos quilômetros. Conseguiu formar um núcleo, onde pretendia atender os alunos que precisavam de orientações para obter um melhor rendimento nas matérias. Pensou em um projeto inovador que iria beneficiar a todos e estava muito empolgado com isso. Começou um romance com Priscila, a coordenadora do núcleo. Estavam apaixonados e compartilhavam ideias para o crescimento de ambos.

Mudanças

Com tantos afazeres Lincon estava ficando muito irritado, sua paciência se esgotava com facilidade. Apesar de seu grande projeto ter sido aprovado, estava um tanto insatisfeito e essa mudança de comportamento foi percebida pelos colegas. Lincon já estava se perdendo no abismo que sua irmã alertou e ele não lhe deu ouvidos...

Até que chegou um dia em que o menino prodígio quis reivindicar seus direitos e como criador do projeto pediu maior parte nos lucros, o que foi motivo de grande confusão entre os sócios, já que ele estava tão ausente do lugar. Depois de tantas discussões Lincon decidiu vender sua parte  para que os demais seguissem com o projeto. Esse foi o primeiro sonho que deixou pra trás.

Com o acontecimento já não era mais o mesmo e aos poucos foi afundando e sendo esquecido, pois estava faltando em seus compromissos, não tinha mais ânimo e não tratava mais as pessoas bem. Após sua formatura se isolou completamente. Pediu ao pai uma casa como parte da herança para morar sozinho distante de todos. Não tendo outra opção, o Sr. Walter concedeu o pedido do filho. Lincon se mudou para outro lado do Vale e virou um andarilho. Ninguém mais o reconhecia ou mencionava o nome dele. A vida que ele deixou pra trás continuava, apenas o jovem que parou no tempo.


Às vezes, aquilo que não podemos ver é tão importante quanto aquilo que vemos, porém nós não lhe damos o verdadeiro valor.

Dezessete anos se passaram e Lincon estava totalmente esquecido, apenas existindo. Até que uma noite quando foi dormir teve um sonho muito estranho onde via muitas pessoas felizes em muitos lugares e percebeu que todas tinham esperança e desejos a serem realizados. E algo muito mais estranho aconteceu. Lincon não estava tendo um sonho qualquer, mas estava dentro do sonho de alguém. Demorou a entender o que aquilo significava e noite após noite o ato se repetia e a cada sonho de pessoas que um dia fizera parte de sua vida ele ficava transtornado por elas estarem bem sucedidas. Foi aí que conseguiu ter controle sobre àquela situação. Poderia sair daquele sonho no momento que quisesse, e mais... poderia roubar aquele sonho.

Esse foi o início de sua vida como ladrão. Todas as  noites se dedicava a entrar no sonho de alguém e aprisioná-lo em um vidrinho, sem remorso e sem se importar de quem era aquele sonho. Não deixou de fora nem o próprio irmão. Ao acordar guardava todos os vidrinhos no porão de sua casa.


Quando você rouba um sonho, você aprisiona também sua alma e a pessoa nunca mais viverá em paz, pois lhe faltará algo importante. Faltará o elo. Você não rouba somente um sonho, você rouba a vida.


A história segue cheia de emoções. O ladrão continua desenfreado. A cidade vai ficando cheia de pessoas tristes e ninguém sabe o porquê. Algo surpreendente acontece na tentativa de parar esse homem, mas será que vai dar certo?  Ele se vê perdido dentro do sonho de uma menininha e a mesmo tempo com muita raiva por não conseguir roubá-lo. Será que é o fim ou apenas o começo? Como uma criança pode ter uma influência sobre ele?



                      Nem sempre quando uma luz se apaga, a escuridão prevalece.

Quando se trata de sonhos já me chama logo atenção. E esse livro não deixou a desejar. Ele foi escrito com tanto carinho que dá até pra sentir. Quantas vezes ocultamos um sonho e alegamos ser apenas um desejo passageiro? Quantas vezes alguém chega pra gente e diz que não vamos conseguir? Quantas pessoas se acham no direito de vim e roubar nossos sonhos?

No decorrer da leitura senti uma chama se acender dentro de mim despertando para tantos sonhos que ainda não realizei e guardei no porão como Lincon fez. E na verdade devemos abrir o vidrinho ao anoitecer e iluminar toda aquela escuridão. Essa é uma leitura que vai te acrescentar muito, pode ter certeza. Quero agradecer ao Sidnei por ter me presenteado com esse livro maravilhoso, estou muito feliz. Já estou ansiosa para ler O Bosque dos Anjos. E não para por aí. Esse querido escritor tão talentoso tem muitas obras a serem lançadas. Desejo a você todo sucesso do mundo, obrigada pelo carinho.

Visitem o site dele e se apaixonem também por essa história:

http://www.ladraodesonhos.com.br/

https://sidneicoelhoescritor.blogspot.com.br/

Instagram

 Quando nos libertamos das amarras que nós mesmos criamos, damos a chance de conhecer a nós mesmos de uma forma que não sabíamos ser. E, ao conhecer, percebemos o quão pequenos éramos e o quão grande podemos nos tornar.

QUOTES DO LIVRO "VOCÊ É INSUBSTITUÍVEL", AUGUSTO CURY



A vida que pulsa em você é mais importante do que todo o dinheiro do mundo e é mais bela do que todas as estrelas do céu.



Você nasceu vencedor. Vencer não é deixar de cometer erros e falhas, mas reconhecer nossos limites e corrigir rotas. Vencer é não desistir.



Temos que aproveitar as oportunidades que a vida nos oferece. Precisamos encontrar oásis em nossos desertos. Os perdedores vêem os raios. Os vencedores vêem a chuva e, com ela, a oportunidade de cultivar.


Todo ser humano passa por turbulências na vida. A alguns falta o pão na mesa; a outros, a alegria na alma. Uns lutam para sobreviver. Outros são ricos e abastados, mas mendigam o pão da tranquilidade e da felicidade.



Muitos desejam o perfume das flores mas não querem sujar as mãos para cultivá-las. Querem um lugar no pódio mas desprezam a labuta dos treinos.


RESENHA: LIVRO "MIL DIAS EM VENEZA", MARLENA DE BLASI


Sinopse:

Este livro pode parecer um conto de fadas, mas é uma história de amor verídica - o amor entre uma mulher e um homem, o amor pela comida e o amor por uma cidade. Por muito tempo, Marlena de Blasi resistiu em ir para Veneza. Até que, em 1989, seu trabalho como chef e crítica gastronômica tornou impossível continuar adiando a viagem. Assim que pôs os pés na cidade, ela ficou completamente seduzida. Seu encantamento foi tão grande que decidiu voltar todos os anos. Em 1993, ela almoçava com amigos quando um garçom se aproximou e lhe disse que havia uma ligação para ela. Do outro lado da linha estava Fernando, um veneziano que, um ano antes, vira Marlena passeando pela Piazza San Marco e se apaixonara à primeira vista. 

Alguns meses depois, Marlena largava toda a sua vida nos Estados Unidos e se mudava para Veneza, para se casar com o "estranho", como costumava chamar Fernando. Ele não falava quase nada em inglês. O italiano dela se resumia a algumas palavras relacionadas a comida. Ele abrira mão de seus sonhos e levava uma vida monótona e previsível. Ela era mestre em recomeçar e reinventar. Ele gostava de tudo muito simples, inclusive refeições. Ela adorava cozinhar pratos elaborados. À medida que eles superam essas diferenças e Marlena vai se familiarizando com as peculiaridades da cultura veneziana, os leitores são presenteados com uma descrição deliciosa e às vezes cômica de dua s pessoas de meia idade que, apesar de tudo, conseguem criar uma relação maravilhosa.

Resenha:

O romance conta a história da autora Marlena de Blasi, que viveu mais de mil dias na cidade mais romântica e encantadora da Itália. Ela é uma chefe e crítica de culinária, por isso viaja bastante para Itália mesmo se mantendo relutante em ir ao local pelo fato de saber que poderia ficar encantada e não poderia largar tudo para morar lá. Depois de suas constantes visitas o inevitável aconteceu, ela se apaixonou por Veneza e todos os anos ia visitar mesmo que não fosse a trabalho. Quando estava tomando café em um dos restaurantes da região aparece o garçom dizendo que tem uma ligação para ela. Era Fernando, um homem que diz estar apaixonado por Marlena. Foi à primeira vista. Na última vez que Marlena esteve naquele local ele a viu e ficou encantado. Então pediu ao garçom que quando ela aparecesse por lá fizesse o favor de ligar. E lá estava ela, Fernando não podia perder essa chance.

Marlena ficou perplexa obviamente com aquele telefonema tão imprevisível daquele homem tão ousado. Logo o homem do outro lado da linha ficou surpreendido em ser convidado para ir tomar café com ela. Quando ele chegou Marlena não sabia o que estava acontecendo, mas sentiu uma forte atração por ele, será que também se apaixonou à primeira vista ou era fruto de sua imaginação? Após esse encontro ela acaba se sentindo realmente envolvida e rapidamente se muda para Veneza, largando toda sua vida nos Estados Unidos, coisa que ela se recusava até imaginar fazer um dia. A princípio acredita estar fazendo uma loucura, mudar de vida para viver um amor com um estranho em outro país. Mesmo assim resolveu seguir seu coração.

É uma história bem bonita, principalmente porque foi real, um dos motivos de querer ler este livro. Outro motivo por se tratar de Veneza, acho esse lugar encantador e fiquei empolgada em saber de um amor vivido ali. Coloquei muitas expectativas e confesso que me decepcionei. A narrativa é muito lenta do começo ao fim. No meio da história ela pausa para conta suas experiências com a culinária, ensinando pratos que nunca ouvi falar e isso se estende tanto que o leitor acaba esquecendo o que ela estava contando anteriormente.

Tem muitos pontos interessantes e a história de amor deles também é muito boa, mas essa lentidão me deixou bem triste e com vontade de abandonar a leitura, mas ainda tive esperanças de me surpreender e continuei. Há várias indicações de lugares para visitar em Veneza, a cultura e comportamento das pessoas, porém não me senti envolvida.

O livro é da Editora Sextante e a questão de diagramação, letra e capa estão impecáveis.

Vocês já leram esse livro? O que acharam?

RESENHA: LIVRO "A SANGUE FRIO", TRUMAN CAPOTE



Este livro conta a história dos quatro membros da família Clutter que foram brutalmente assassinados, e dos dois criminosos Dick e Perry, executados cinco anos depois. O crime ocorreu em 1959, na cidade de Holocomb, no Kansas, Estados Unidos. Trata-se de um livro de não-ficção, com uma narrativa mais envolvente e rica em detalhes (muito rica em detalhes). Uma história contada sob a percepção de cada personagem da família e dos criminosos mesmo antes de planejarem o crime. Foi um best-seller. O autor inovou bastante o gênero, migrando da reportagem para o "romance" de não-ficção como costumava chamar, sendo o primeiro jornalista a trazer o conceito de livro-reportagem.

Essa obra deu início ao Novo Jornalismo, pois Capote se recusou a escrever da forma tradicional, onde os fatos mais importantes vem primeiro. Preferiu uma narrativa mais elaborada, começando pelo começo e encaixando os pontos à medida que fossem acontecendo, naturalmente. Ele passou mais de um ano na região, entrevistando os moradores e investigando as circunstâncias do crime. Capote reproduziu um clássico do jornalismo literário. Nada escapou de seu olhar, onde ele descreveu tudo detalhadamente, do mesmo modo que as pessoas falavam, das palavras até às expressões e o que elas representavam. Publicado em 1965 na revista The New Yourker, em quatro partes, e em livro no ano seguinte, o texto levou fama e prestígio do autor.

Herbert William Clutter, 48 anos. Era proprietário da fazenda Tiver Valley. Morava com sua esposa Bonnie e seus dois filhos, Nancy e Kenyon. Suas outras filhas Beverly e Eveanna já tinham saído de casa. O sr. Clutter era um homem bom e honesto. Era metodista, muito generoso e dava oportunidade para quem podia, sempre pensava no melhor para os outros.

Nancy tinha dezesseis anos, andava sempre com pressa, mas sempre tinha tempo. Suas horas eram muito bem divididas, a maioria era em benefício de alguém e as restantes dedicava para coisas que gostava, como dançar e cozinhar. Ela namorava com Bobby, gostava muito dele, mas seu pai havia pedido para ela se afastar do rapaz. Bobby era um bom moço, mas era católico e os Clutter metodista, o que não daria certo continuar com a relação, ao ver de Herb.

Kenyon era forte e resistente, tinha um defeito que era a falta de coordenação motora, isso o impedia de participar dos esportes. Eveanna era a mais velha, estava casada e tinha um filho de dez meses, vivia ao norte de Illinois. Beverly era a segunda filha, morava em Kansas City e estudava enfermagem, estava noiva de um jovem estudante de biologia.

A família era conhecida e querida por todos, eram muito admirados e respeitados. A Sra. Clutter tinha problemas nervosos, sofria crises ao relembrar o que poderia ter feito antes de se casar e durante os partos teve depressão, e prosseguia uma mulher sofrida, porém, adorável.

Na madrugada do dia 15 de novembro, o inesperado aconteceu. Os quatro integrantes da família estavam em casa e foram encontrados mortos, todos com um tiro a queima roupa na cabeça. Só o pai que teve requintes de crueldade com um corte em seu pescoço e uma corda pendurada no teto, a qual pode ter sido usada para a tortura daquele homem bom.

O crime chocou a todos da região, todos buscavam entender o motivo daquele desastre mas não obtinham respostas. Os criminosos planejaram cada detalhe, entraram na casa em busca de um cofre. Amarraram todos enquanto procuravam, acharam apenas alguns dólares, para não haver testemunhas e a possibilidade de serem descobertos, mataram os quatro de maneira absurda e indignante, como ninguém nunca tinha visto ou ouvido falar antes.

Após o crime, a narrativa tem foco nas investigações a cerca do acontecimento, a busca por respostas de quem teria feito aquilo e por qual motivo. Tem um enredo fantástico, é diferente de todos os outros, tem um jeito próprio de encantar. Não consegui largar o livro, tem 440 páginas e li em três dias.  Gente é espetacular! Gosto de livros com detalhes, mas esse foi o primeiro detalhadíssimo que li e fiquei extasiada. No início me perguntei pra quê tanto detalhe, mas no decorrer da leitura quando tudo se encaixava ficava de boca aberta. Bem impressionada e admirada com tanta observação.

Em 2006 foi lançado o filme Capote inspirado nesse livro, onde narra a trajetória do escritor durante a investigação do caso da família Clutter.

TEXTO: "A ANDORINHA", DE AUGUSTO CURY



Texto retirado do livro O Vendedor de Sonhos

Certa vez houve uma inundação numa imensa floresta. O choro das nuvens que deveriam promover a vida dessa vez anunciou a morte. Os grandes animais bateram em retirada fugindo do afogamento, deixando até os filhos para trás. Devastavam tudo o que estava à frente. Os animais menores seguiam seus rastros. De repente uma pequena andorinha, toda ensopada, apareceu na contramão procurando a quem salvar.

As hienas viram a atitude da andorinha e ficaram admiradíssimas. Disseram: Você é louca! O que poderá fazer com um corpo tão frágil? Os abutres bradaram: Utópica! Veja se enxerga a sua pequenez! Por onde a frágil andorinha passava, era ridicularizada. Mas, atenta, procurava alguém que pudesse resgatar. Suas asas batiam fatigadas, quando viu um filhote de beija-flor debatendo-se na água, quase se entregando. Apesar de nunca ter aprendido a mergulhar, ela se atirou na água e com muito esforço pegou o diminuto pássaro pela asa esquerda. E bateu em retirada, carregando o filhote no bico.

Ao retornar, encontrou outras hienas, que não tardaram a declarar: Maluca! Está querendo ser heroína! Mas não parou; muito fatigada, só descansou após deixar o pequeno beija-flor em local seguro. Horas depois, encontrou as hienas embaixo de uma sombra. Fitando-as nos olhos, deu a sua resposta: Só me sinto digna das minhas asas se eu as utilizar para fazer os outros voarem!

No momento seguinte, após uma inspiração profunda e penetrante, o vendedor de sonhos disse:

- Há muitas hienas e abutres na sociedade. Não esperem muitos dos grandes animais. Esperem deles, sim, incompreensões, rejeições, calúnias e necessidade doentia de poder. Não os chamo para serem grandes heróis, para terem seus feitos descritos nos anais da história, mas para serem pequenas andorinhas que sobrevoam anonimamente a sociedade amando desconhecidos e fazendo por eles o que está ao seu alcance. Sejam dignos das suas asas. É na insignificância que se conquistam os grandes significados, é na pequenez que se realizam os grandes atos.

RESENHA: LIVRO "UM DIA", DE DAVID NICHOLLS


Sinopse:

Dexter e Emma se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e eles levam vidas muito diferentes daquelas que eles sonharam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo desses vinte anos, Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.


Resenha:

A história começa com Dexter Mayhew e Emma Morley  juntos em um quarto alugado após a noite de formatura. É uma sexta feira de 15 de julho de 1988, dia de São Swithin. Eles passam a madrugada inteira conversando sobre seus planos futuros. Ele como um garanhão que é não quer desperdiçar o tempo conversando, mas Emma lhe pede que não force a barra e em uma fração de segundos ele pensa em ir embora, mas resolve respeitar e continua ali, pois lá no fundo tem um pouco de interesse em saber mais sobre a mulher com quem estava dividindo a cama na qual sempre esteve perto durante um tempo e nunca tinha se aproximado.

Com vinte e três anos, a visão que Dexter tinha do próprio futuro não era mais nítida que a de Emma. Queria ser bem sucedido, que os pais se orgulhassem dele e que tivesse a oportunidade de dormir com mais de uma mulher ao mesmo tempo. Queria ser citado em revistas e esperava um dia ver uma retrospectiva do seu trabalho, mesmo sem saber qual seria esse trabalho. Queria aproveitar a vida ao máximo sempre com diversão. Já Emma, queria ser corajosa e ousada o suficiente para mudar um pouco as coisas a sua volta e trabalhar duro em algum projeto que rendesse frutos. Mudar a vida das pessoas através da arte. Queria amar, ser amada, experimentar algo novo, viver de forma intensa mas sempre dando um significado ao que faz.

Depois daquele momento eles sabem que pode ser a primeira e única vez que tiveram a oportunidade de ficar juntos, ao saírem daquele quarto teria uma vida esperando lá fora e cada um traçaria seu caminho sem possibilidades de manter uma relação, pois eles são muito diferentes e as chances de darem certo são mínimas, então eles preferem não arriscar. 

Para surpresa de ambos, acabaram tendo alguns encontros após aquela noite, mas como amigos. A partir daí a narração é feita de modo intercalado e em terceira pessoa, o que garante um campo mais vasto de percepção para quem está lendo e os diálogos são bem estruturados. A história dos dois passa a ser contada todos os anos na mesma data durante vinte anos, relatando o que cada um está fazendo, qual caminho seguiu, que foi totalmente diferente do que planejaram. 

Dexter e Emma ficaram amigos, cada um em lugares diferentes, mas sempre se comunicavam contado como estavam e sempre que dava eles se encontravam pessoalmente. Depois de um longo tempo eles buscaram refúgio em paixões passageiras sem se darem conta que entre eles havia um sentimento maior do que o de amizade. Ao perceberem dão início a um romance e aí é que a história fica linda e emocionante, pois ao decorrer da história até chegar o momento da união foi apresentado ao leitor cada ponto importante de suas vidas no dia 15 de julho de cada ano formando uma ponte para o reencontro deles. 

Eu simplesmente amei a leitura, me emocionei e me surpreendi bastante com as reviravoltas. Em muitos momentos me senti parte daquele enredo, querendo tomar as decisões e mostrar a verdade para os personagens que pareciam não enxergar, mas depois entendi que era necessário todo aquele drama, semelhante à vida real. Fascinante gente, quem ainda não leu recomendo bastante. Tem umas partes bem tristes que me arrancaram lágrimas, mas mesmo assim gostei.

Já o filme não gostei muito, achei que faltou muitas coisas importantes. Recomendo que leiam primeiro o livro pra depois ver o filme, porque se for assistir primeiro vai perder a vontade de ler. Só não foi pior por conta dos atores que amo!


De repente me peguei pensando em você, e pensando que pena que não está aqui para ver isso, para vivenciar isso, aí eu tive a seguinte revelação. Você deveria estar aqui comigo.



TEXTO: "HÁ MOMENTOS", CLARICE LISPECTOR

Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.